Para eles (estrangeiros) tudo. Para o Brasil, migalhas!

Brasil migalhas

O que leva o Governo Federal a querer se desfazer de unidades da Petrobras se elas dão muito lucro para o país?

Há diversos interesses em jogo. Principalmente por parte do capital estrangeiro e de setores que, mesmo no Brasil, não têm compromisso com o próprio país.

Eles não enxergam uma estatal como ferramenta de interesse para o desenvolvimento de uma nação. Eles só pensam no próprio lucro, e isso é péssimo para o Brasil.

Por isso, com essa nova composição societária da “Petrobras de Paulo Guedes”, os dividendos direcionados aos fundos de investimento serão “bombados”.

Enquanto isso, na bomba de combustível, o brasileiro sofre os impactos da política de preço que atende aos interesses estrangeiros.

 

Dividendos

A gestão da Petrobras pretende distribuir US$ 34 bilhões (quase R$ 140 bilhões) em dividendos até 2024 (dividendos são uma parte do lucro distribuído após um determinado período, por exemplo, um ano).

Os números estão no plano de investimento da estatal (2020-2024).

Isso significa aproximadamente 6,8 bilhões de dólares (ou cerca de 28 bilhões de reais) por ano em dividendos. Desses, R$ 10 bilhões anuais serão destinados aos acionistas estrangeiros.

Porém, há um detalhe nesses números que o governo esconde: para que esses US$ 34 bilhões sejam divididos, a Petrobras terá que vender US$ 30 bilhões de ativos (subsidiárias como BR Distribuidora e TAG, que já foram privatizadas, e as refinarias e outras unidades que estão em negociação).

Ou seja, o atual Governo Federal e a gestão da Petrobras estão se desfazendo de unidades de refino, transporte, fábricas de fertilizantes e gás natural para atender aos interesses do capital estrangeiro.

Não é estranho para um governo que diz que o Brasil está acima de tudo?

Agora, onde está o nacionalismo defendido pelo Governo Federal na última campanha?

Não dá para entender.

Ainda mais porque se trata da maior empresa do país, uma referência mundial, que sempre deu muito lucro ao Brasil.

Essa gestão demonstra claramente que está destruindo economias regionais para atender acionistas e outros interesses. Essa é a verdade.

Porque, ao privatizar unidades, os mercados regionais sofrerão duros golpes em suas receitas. Cidades que dependem de royalties ou ICMS da companhia poderão falir.

E tudo isso para quê?

Para garantir o lucro aos acionistas internacionais.

 

Algumas certezas:

:: Os que mais se beneficiam com as vendas das unidades da Petrobras não são os brasileiros;

:: Desinvestimento trata-se de desnacionalização do setor, ou seja, o oposto de nacionalização;

:: A destruição da Petrobrás interessa ao grande capital internacional. Eles não querem que o Brasil seja autônomo no setor do petróleo;

:: Serão poucos que se beneficiarão de toda uma estrutura que foi criada para atender o povo brasileiro.

 

Atenção!

Enquanto o Brasil se aprofunda em crises econômicas, os gestores da maior empresa nacional intensificam as vendas de unidades estratégicas e alegam que “o nosso negócio é criar valor”, como disse o presidente da companhia, Castello Branco.

O questionamento é: esse “valor” está sendo criado para atender quais interesses?

Porque é certo que o mundo está de olho em uma das mais eficientes empresas do setor, e em uma das maiores reservas de petróleo do mundo, o Pré-sal.

E quem está interessado em se apropriar de toda nossa riqueza, certamente está muito contente com os rumos que o governo brasileiro está tomando…

Veja também Privatizar unidades do Sistema Petrobras acaba com empregos no Brasil e gera em outros países

Compartilhe a nossa campanha no Facebook

Siga-nos no Instagram

Passado, Presente e Futuro: A Petrobras é tudo isso e muito mais

Como o Brasil vai jogar no tabuleiro da nova geopolítica do petróleo
Como o Brasil vai jogar no tabuleiro da nova geopolítica do petróleo
O setor do petróleo se apresenta como um tabuleiro de xadrez. Porém, esse jogo vai muito além de uma mera partida esportiva, ele decide o andamento e os rumos do...
Petrobras leva responsabilidade social a sério
Petrobras leva responsabilidade social a sério
A Petrobras possui sólidos programas de responsabilidade social e ambiental. Esses projetos têm como objetivo diminuir ao máximo os impactos de sua atividade econômica nas comunidades onde atua, buscando sustentabilidade...
Em 20 anos, serviços privatizados subiram mais que inflação
Em 20 anos, serviços privatizados subiram mais que inflação
É comum ouvir atualmente expressões como “privatiza tudo” ou “tem que privatizar mesmo”. Geralmente, esses pensamentos são estimulados por setores que não possuem compromisso com o país e nem com...