Sem refinarias da Petrobras, o preço dos combustíveis vai subir e os brasileiros pagarão muito caro

Sem refinarias da Petrobras

Ao reduzir de 95% para 60% a capacidade de refino no Brasil, o Governo Federal deixou claro que a política de desinvestimento praticada pelo Ministro da Economia, Paulo Guedes, piora a vida dos brasileiros.

E quando o papo é refinaria, eis a questão: vende-las é uma estratégia inteligente?

Óbvio que não. O Brasil sem as refinarias vai piorar.

Diariamente está clara a influência da redução do refino e o impacto na alta dos preços dos combustíveis e no gás de cozinha. Enquanto as importadoras de derivados de petróleo comemoram, assim como as refinarias estrangeiras e os acionistas do mercado financeiro, o cidadão comum vive sendo controlado por uma moeda estrangeria (dólar).

 

Entenda

:: Fechar as refinarias fará que com que o Brasil importe combustíveis, o que irá reduzir os impostos arrecadados nos estados e município onde elas operam;

:: Sem refinarias muitas cidades serão afetadas pelo fim das operações de embarque e desembarque de petróleo ou gás natural;

:: Como consequência, milhões de reais em royalties desaparecerão da noite para o dia (no longo prazo, podem ser bilhões).

:: Na área do refino, existem milhares de empregos diretos, indiretos e no entorno dos centros de operação da Petrobras, esses empregos fazem girar a roda da economia. Tudo isso está em risco;

:: Estrategicamente o Brasil deixa de ser soberano no produção de derivados do petróleo e gás e as empresas estrangeiras passarão a dar as cartas;

:: Brasil conta com 17 refinarias, destas, 13 unidades são da Petrobras e respondem por 98,2% da capacidade total do país;

:: Dessas 13 refinarias da Petrobras, oito foram colocadas à venda por cerca de US$ 10 bilhões. Juntas, têm capacidade de refino de cerca de 1,1 milhão de barris de petróleo por dia.

:: A capacidade de refino da Petrobras é a mesma da capacidade de produção de petróleo, cerca de 2,22 milhões de barris por dia;

Direto ao ponto

Se as refinarias forem privatizadas, as decisões sobre preços que o brasileiro paga nos postos de combustíveis deixa de ser de estatal de baixo custo e passa a ser de particulares de alto custo.

Significa dizer que uma intervenção estatal na política de preços dos combustíveis, principal ação do governo para reduzir o valor do diesel e da gasolina, será impossível em caso de aumento de preços ao consumidor.

Ou seja, cada brasileiro estaria sujeito aos valores vindos das petrolíferas que não produzem no Brasil e irão cobrar em dólar.

Para especialistas no setor do petróleo, vender refinarias não significa apenas passar o controle das operações às multinacionais, trata-se de algo mais complexo, em que todo um mercado produtivo, uma cadeia de operações e uma demanda de consumo, que antes tinha como prioridade o mercado interno, com preocupação para o desenvolvimento do Brasil, passe a ser controlada por terceiros, sem qualquer compromisso com o país.

Golpe na arrecadação

Em muitos estados e municípios, as refinarias são as maiores fontes de arrecadação com o embarque e desembarque de petróleo ou gás natural produzidos no Brasil, tanto pelo pagamento de tributos como de royalties.

Além disso, com a privatização, se reduzirá investimento e geração de emprego:

:: O Brasil perde em tecnologia;

:: Perde em arrecadação, já que a Petrobras já respondeu por 13% do Produto Interno Bruto (PIB);

:: E não haverá mais concurso público para milhões de jovens de escolas técnicas e universidades;

:: Além dos impostos, parte considerável do lucro de empresas estatais é aplicado diretamente em benefício da população, com o financiamento de projetos em áreas como educação, cultura, esporte, lazer, ciência e tecnologia, proteção ao meio ambiente e tantas outras. Se for privatizada, o lucro excedente (o que não for reinvestido na própria empresa) irá diretamente para o exterior, para a sede no país de origem;

 

Ou seja, falar em refino também é falar do futuro das novas gerações.

Refino no Brasil é sinônimo de soberania nacional e esperança.

O país é dependente dessas fontes naturais para gerar uma política de desenvolvimento nacional.

Com o refino e com a Petrobras estatal, o Brasil tem chance.

 

Quer saber mais? veja nossa outra matéria: É verdade que a Petrobras é cabide de emprego?

 

Compartilhe nossa campanha no Facebook

Siga-nos no Instagram

 

Passado, Presente e Futuro: A Petrobras é tudo isso e muito mais

A Petrobras é nossa, mas por que o preço do combustível no Brasil está tão alto?
A Petrobras é nossa, mas por que o preço do combustível no Brasil está tão alto?
O brasileiro diariamente sofre consequências da política adotada pelos governos Temer e Bolsonaro, que optaram por atrelar o preço dos derivados do petróleo às variações do mercado internacional, que opera...
Em meio à crise internacional, a atual gestão da Petrobras falha em não priorizar o refino
Em meio à crise internacional, a atual gestão da Petrobras falha em não priorizar o refino
Em meio à maior crise internacional de petróleo dos últimos anos, a atual gestão da Petrobras parece não ter entendido o tamanho do problema e também o caminho correto que...
Petrobras: será ela a última desbravadora de novas fronteiras?
Petrobras: será ela a última desbravadora de novas fronteiras?
O crescimento da Petrobras está atrelado ao Brasil.  A estatal sempre esteve envolvida nas descobertas relevantes economicamente e cientificamente para o país. Ela sempre foi uma desbravadora de novas fronteiras....